Coordenador : Tathianna Prado Dawes
Ano: 2021
Publico Alvo : Discentes do curso da área de saúde, profissinais da saúde, intérprete de Libras e o publico que se interessar por temas da saúde da pessoa surda
Local de atuação: GLC
Resumo
Temos os dados do Censo do IBGE (2010) aponta aproximadamente 45,6 milhões de pessoas com deficiência, o que corresponde a 23,9% da população. Destes, 21,3% apresentam deficiência auditiva, ou seja, existem no Brasil 9.722.163 pessoas com deficiência auditiva. De acordo com o capítulo VII do Decreto de Lei nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005 (BRASIL, 2005), que trata da garantia do direito à saúde das pessoas Surdas ou com deficiência auditiva, é determinado que, a partir de 2006, o atendimento às pessoas surdas ou com deficiência auditiva na rede de serviços do Sistema Único de Saúde (SUS), bem como nos hospitais públicos e privados que oferecem a assistência à saúde, seja realizado por profissionais com fluência em Língua Brasileira de Sinais – Libras ou tenha formação em Tradução e Interpretação em Libras/Língua Portuguesa e vice-versa para efetivação de comunicação entre profissional e paciente Surdo. Dessa forma, o projeto Medicina, Surdez e Libras: análise do atendimento ao paciente surdo, tem por objetivo central discutir temas teóricas, de in(formação) para licenciandos da disciplina Iniciação Cientifica do Curso de Medicina da Universidade Federal Fluminense. A formação será feita pelo planejamento e realização de lives, não só para os graduandos e profissionais da saúde como também para o público interessado no conteúdo a ser discutido; encontros/reuniões virtuais por meio Google Meet visando a disseminação de conhecimento e do despertar da sociedade para a necessidade de inclusão do surdo no que tange à saúde.