Coordenador : Luciana Maria Ramires Esper
Ano: 2021
Publico Alvo : O público alvo são: serviços de alimentação em geral (restaurantes, padarias, lanchonetes), indústrias de alimentos, população em geral, pois terá informações relevantes e aquelas que possuem funcionários em sua residência também poderão utilizar o treinamento, assim como pequenos negócios residenciais. O público também será alunos da UFF e de outras universidades que poderão utilizar o material em sua atuação profissional futura.
Local de atuação: MBO
Resumo
O treinamento de manipuladores é um dos fatores mais críticos da inocuidade alimentar e consequentemente da garantia da saúde do consumidor ao ingerir um alimento. Há inúmeras exigências legais de práticas e procedimentos para a adequada e segura manipulação de alimentos como as Boas Práticas de Fabricação (BPF), Análises de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC), porém se o manipulador não for treinado de forma adequada, considerando suas características, nível de escolaridade, habilidades prévias, o treinamento não será efetivo e o resultado necessário não será alcançado, podendo resultar em contaminação dos alimentos e consequente problemas a saúde do consumidor. Este projeto é de grande importância e tem como objetivo a elaboração de material educativo e informativo com métodos de treinamentos considerando a legislação, o manipulador e forma de avaliação do treinamento como reação do manipulador, aprendizagem, comportamento e resultados, avaliando se o colaborador realmente aprendeu com o treinamento, se ele adquiriu conhecimento, habilidades e atitudes planejadas. Atuamos tanto no ensino quanto junto a empresa júnior da UFF, onde há demandas de treinamentos de manipuladores, com a vivência das dúvidas rotineiras sobre treinamentos efetivos, portanto, o projeto ajudará a sociedade com um todo, pois a legislação brasileira exige o treinamento e com o material produzido, daremos as ferramentas e explicações para que o treinamento seja eficaz, tanto para serviços de alimentação, indústrias e até residências, auxiliando portanto, na redução e prevenção de casos e surtos de doenças veiculadas por alimentos.