Coordenador : Aluisio Gomes da Silva Junior
Ano: 2021
Publico Alvo : Jovens mulheres cis e trans, população LGBT+, negros, pessoas em vulnerabilidade social
Local de atuação: MPS
Resumo
Criado no Rio de Janeiro, o Isoporzinho é um hábito da população jovem, hoje se mantendo ainda forte principalmente na população LGBT+, de gerir seu próprio consumo de bebidas em festas, evitando os altos preços. Consiste em um grupo marcar em determinado local e levar sua própria bebida e negociar formas de manter gelada, etc. Este projeto visa apresentar um Isoporzinho com água potável visando cuidado ao uso de álcool e outras drogas e também utilizar o valor simbólico por ser um movimento de cultura de rua para trabalhar temas relacionados à prevenção do HIV e outras ISTs. O projeto atuará com estratégias de Redução de Danos, inspirado na Prevenção Combinada, uma estratégia do Ministério da Saúde que visa responder a necessidades específicas de determinados segmentos populacionais e de determinadas formas de transmissão do HIV e outras ISTs. O projeto se configura com intervenções não somente biomédicas, mas que possibilitem ofertar práticas de cuidado em contextos culturais de rua, levando em consideração o cenário de desmonte de políticas públicas e de retrocesso nos direitos adquiridos, o que desafia a sobrevivência dos grupos alvo dessa política: Gays e homens que fazem sexo com homens, pessoas trans, pessoas que usam álcool e outras drogas, pessoas privadas de liberdade, trabalhadoras do sexo e com prioridade de intervenção nos segmentos: adolescentes e jovens, população negra, população indígena, população em situação de rua.