Coordenador : Priscilla Oliveira Silva Bomfim
Ano: 2019
Publico Alvo : Alunos do ensino médio e professores do ensino básico. A proposta é trabalhar a temática com diferentes intervenções: cursos, palestras tanto para professores quanto alunos.
Local de atuação: GNE
Resumo
Um dos grandes desafios das políticas públicas está relacionada ao combate ao uso de drogas, que já ocupam as escolas trazendo para este cenário crianças e adolescentes em pleno desenvolvimento. Inserida no ambiente escolar as drogas assumem um papel perturbador social e educacional, uma vez que afetam, diretamente, a capacidade de socialização e cognitiva do educando. OMS, Unesco, UNODOC e WHO, destacam a importância das políticas públicas que intervenham na escola o mais precocemente possível, de forma que a palavra de ordem não seja o combate, mas sim a prevenção. O uso e/ou abuso de drogas impacta fortemente a educação, à medida que: reduz o desempenho escolar, aumenta a taxa de evasão impactando não só a educação mas o desenvolvimento social, além de desempenhar papel secundário afetando o sistema de saúde pública, em função do custo que gera com a reabilitação da saúde, assim como questões de segurança pública, familiares, comunitários e sociais. Portanto, é de extrema relevância que conteúdos científicos relacionados à este tema possam chegar à escola a fim de atingir essa parcela da população, estudantes dos primeiros segmentos, que vem sendo facilmente seduzida pelo uso de drogas, de forma a prevenir o primeiro contato. Caso este já tenha ocorrido, o objetivo é que se possa prevenir as questões secundárias relacionadas ao uso, tais como acidentes de trânsito, infecções pelo vírus da AIDS.. A proposta é trabalhar conceitos de neurociências a partir de uma linguagem acessível de forma a inserir a ciência no cotidiano do público alvo.