Coordenador : Suenya Santos da Cruz
Ano: 2019
Publico Alvo : Agricultores e agricultoras familiares; militantes de movimentos sociais e organizações populares; consumidores de produtos agroecológicos; profissionais da redes de saúde, educação e assistência municipais; técnicos, professores, estudantes e profission
Local de atuação: RIR
Resumo
O projeto busca fomentar a articulação entre a produção de alimentos agroecológicos, sobretudo advindos de assentamentos rurais e da pequena produção familiar camponesa e o consumo consciente. Dessa forma, espera-se colaborar para uma vida digna para agricultores familiares e para o acesso popular a alimentos saudáveis, fortalecendo políticas de segurança alimentar e nutricional e impulsionando novas iniciativas autônomas e diversas estratégias de comercialização. Nessa perspectiva, intenciona-se mapear agricultores familiares em transição agroecológica, contribuindo com assessoria e com a articulação deles, priorizando os municípios de Casimiro de Abreu, Macaé, Rio das Ostras e Silva Jardim; bem como consumidores interessados em articulações coletivas, facilitando processos de comercialização que beneficiem produtores e consumidores. Além disso, buscar-se-á fomentar o controle social da política de segurança alimentar e nutricional. Compreende-se que o enlace entre campo e cidade, no que diz respeito a questão da alimentação, contribui para a construção de uma sociedade que altere seu modelo agrícola. Este deve priorizar a preservação da natureza e manutenção/recuperação da biodiversidade e reconhecer e valorizar formas de coexistência entre a humanidade e seu meio ambiente, combinando conhecimento científico e popular, criando brechas para ruptura com os processos de alienação. Concomitantemente, buscaremos articulação interna na UFF e com parceiros externos fortalecendo o campo agroecológico. Em síntese, o projeto visa contribuir para superar um desenvolvimento que submeteu a produção de alimentos ao seu jugo, tendo como consequência danos socioambientais, a precarização do trabalho nos territórios rurais e urbanos, adoecendo trabalhadores e consumidores de produtos industrializados e produtos frescos envenenados.