Coordenador : Sonia Regina Alves Nogueira de Sá
Ano: 2019
Publico Alvo : Professores das Redes Públicas Federal, Estadual e Municipal de Ensino, professores da Rede Privada, Profissionais da educação em geral, Estudantes de cursos de licenciatura, educadores infantis populares e estudantes da educação básica identificados com
Local de atuação: GFQ
Resumo
Ainda é muito comum, inclusive no meio acadêmico, indivíduos com comportamento superdotado (CS) serem idealizados e estereotipados como gênios, muito responsáveis e absolutamente bem sucedidos. O desconhecimento sobre o assunto perpetua mitos dificultando que esses indivíduos sejam atendidos adequadamente, como preconizam as leis brasileiras. Afinal, quem são esses alunos? São crianças muito diferentes das consideradas normais? Se houver um aluno com CS em minha sala de aula, como atendê-lo? Neste projeto, o grupo de pesquisa DIECI (Desenvolvimento e Inovação em Ensino de Ciências) realizará: oficinas interativas com alunos com CS; palestras e rodas de conversa sobre altas habilidades ou superdotação (AH/SD) com pais e responsáveis; e, com licenciandos, professores e educadores em geral, um conjunto de atividades de formação na área de educação inclusiva visando a identificação e o atendimento aos alunos identificados com comportamento superdotado. Nessas atividades (rodas de conversa, palestras, mini cursos e a possibilidade de vivenciar uma oficina interativa, trabalhando Ciências da Natureza e Dignidade Humana, junto a um grupo de alunos identificados com CS) os educadores refletirão sobre os mitos envolvendo as AH/SD e receberão uma breve formação teórica acerca de instrumentos de identificação de alunos com AH/SD. Para ampliar o trabalho que o DIECI já realiza nesta área em Niterói, serão oferecidas edições da formação no Campus Sede da UFF e em escolas da Educação Básica e/ou em Núcleos de Atendimento a alunos com necessidades educacionais especiais na Região Leste Metropolitana e na Baixada Litorânea do Rio de Janeiro.