Tathianna Prado Dawes

Surdez, LIBRAS e os espaços não formais

A sociedade, no seu dia-a-dia, precisa se adaptar às necessidades dos indivíduos com Surdez, dividindo espaços formais e não formais com igualdade e, principalmente, com respeito e aceitação às diferenças. A realização de produção material didático em LIBRAS para as oficinas práticas, lúdicas e interativas, em ambientes não-formais de ensino, pode servir para introduzir os conceitos de surdez, da comunicação em LIBRAS entre os indivíduos, facilitando, assim, o processo de aprendizagem, de conscientização e de inclusão de indivíduos com surdez.

O ensino da Língua Portuguesa (L2) para os surdos

A proposta do curso terá como aperfeiçoamento da Língua Portuguesa para os alunos surdos do enino fundamental I e II da rede municipal de Niterói e Instituto Educação Professor Ismael Coutinho, a segunda língua na modalidade escrita, em consonância com a Lei 10.436 de 2002 e o Decreto 5.626 de 2005. A Língua Portuguesa, a língua oficial de seu país, em busca de melhores condições de comunicação, de domínio da linguagem e organização de pensamento que viabilizarão a leitura e a escrita para um melhor desenvolvimento no processo de letramento no contexto da diversidade e inclusão.